Visite nosso blog "gourmet": http://jwalkersgourmet.blogspot.com/

Hodômetro - quilometragem dos participantes

Participante
Distância percorrida
Alberto
639,4 km
Daniela
810,0 km
Jorge
784,4 km
Marcelo
858,2 km
Paulo
211,2 km
Yumi
145,6 km
(considerando somente os eventos listados neste blog)

domingo, 26 de setembro de 2010

Northbrasil 2010 - Colinas de Itupeva

Ficamos hospedados no hotel Colinas de Itupeva, pois assim poderíamos dormir até um pouco mais tarde e garantiríamos o banho pós-prova. Como o check-in era a partir das 18h, saímos de SP às 17h do sábado. Chegamos lá em pouco mais de uma hora.

À noite, fomos fazer o reconhecimento de Indaiatuba (e procurar algum lugar para comer), já que a cidade de Itupeva não parecia muito promissora. Indaiatuba é uma cidade com muitos bares e restaurantes, e depois de rodar algum tempo, acabamos encontrando um lugar que parecia uma cantina. Estacionamos, e só então percebemos que era, na verdade, um bar e restaurante de frutos do mar! O mais curioso é que, ao redor, todos os bares estavam às moscas, enquanto no Pezão havia fila de espera! No cardápio, muitas porções interessantes... cervejas também (a escolhida foi a famosa Brahma de Agudos - difícil de encontrar em SP).


O Jorge ainda pediu um "pratinho infantil"!


No domingo, nossa largada foi às 10h32. Mas dessa vez o clima não estava dos melhores, tanto que a largada dos graduados pró teve que ser atrasada... Choveu a noite inteira e a garoa só deu trégua em cima da hora da largada.


A primeira parte da prova, que aconteceu dentro da própria pousada, foi bem tranquila (tinha até PC fofoqueira - pendurado na janela!). Saímos da pousada pelo portão ao norte e descemos margeando a cerca. 100 m antes da referência, no PC 1, fomos informados que o trecho que deveria passar por dentro do riacho havia sido cancelado, por razões de segurança devido à chuva (o pessoal da NorthBrasil sempre prezando pela segurança!). Daí, fizemos um deslocamento até um ponto mais seguro no riacho. Aguardamos alguns minutos para continuar a prova.


Subindo o rio, encontramos o PC 4, quase afogado, coitado! Foi meio complicado sair do rio e ficamos atolados até a metade da canela! Com isso, acabamos atrasando uns 4 minutos... O problema é que a sequência da prova era toda em subida... Subimos até os PCs 8 e 9 num ritmo bem forte, mas o barro vermelho grudava nas botas e tornava a subida ainda mais difícil. Chegamos no PC 8 com apenas 11 segundos de atraso! A seguir, descemos pelas grandes pedras das colinas, cruzamos a rota que usamos para subir e fomos em direção ao neutro (nessa prova, passamos pelo neutro duas vezes, sendo que na primeira passagem foram 5 minutos para recuperar o fôlego).


Saímos do neutro descendo pelas pedras e veio o bendito rally de bússola. Logo no início dessa parte, caímos na pegadinha: passamos antes por debaixo das pedras e adiantamos mais de três minutos. Que pena!

A seguir, o Marcelo avisou que, pelos picotes da ficha de controle, devíamos ter perdido o PC 15, criando um certo desânimo na equipe (só no final da prova ficamos sabendo que esse PC havia sido cancelado). É, essa parte da prova ainda não está afinada...

Continuamos descendo até que chegamos a um trecho de floresta, onde ficamos na dúvida em relação a um dos trechos... Nessa hora a gente vê a importância da contagem de passos correta e da velocidade correta: resolvemos a dúvida comparando a distância com o tempo e acertamos a trilha! O problema é que, para confundir, haviam 2 PCs muito próximos (só 9 segundos de diferença). Sempre bate aquela dúvida...

Saindo da mata, começamos a subir de novo. Pelo que lembrávamos da altimetria publicada no briefing, seria a subida mais longa e íngreme da prova. No meio da subida, lembramos das lições aprendidas e subimos acompanhando a velocidade da Daniela. Resultado: zeramos o PC no meio da subida.

Lá no alto, estava novamente o neutro, dessa vez com 8 minutos de descanso. Deu até para aproveitar a bela paisagem.


O trecho seguinte foi de descida, em direção à pousada, seguindo por uma trilha paralela à estradinha que usamos na subida. Seguimos descendo até encontrar novamente o riacho, no mesmo ponto onde terminamos o deslocamento.


Nesse ponto, demos bobeira e ficamos procurando uma trilha óbvia e perdemos um bom tempo... Acertamos o caminho e... o que é uma goiabeira? Putz, que tristeza, ninguém sabia como uma goiabeira se parecia... Passamos pelo PC 31 e voltamos para a pousada.

Passamos ao lado da igrejinha pelo PC 32 (que também foi cancelado), demos mais uma volta pela pousada e... outro trecho de bússola... Até que fizemos mais ou menos certo, mas perdemos o PC 37 (mas dessa vez, não foi exclusividade nossa: SÓ DUAS equipes encontraram esse PC, dentre TODAS as categorias... esse PC devia estar dentro do banheiro).

Como perdemos algum tempo nesse pedaço e a prova já estava no final, resolvemos dar uma corrida, já que era ladeira abaixo, até a chegada! Mas ainda chegamos com um minuto e meio de atraso...

Terminada a prova, só nos restou cuidar da hidratação!


Essa foi nossa melhor colocação até o momento em provas da North Brasil. Aos poucos vamos aprendendo. Quanto à etapa, teve esforço físico abaixo da média (menos de 8 km, talvez por causa do clima), dificuldade média de navegação e muitas, muitas pegadinhas.


Distância: 7332 m (já corrigido, com o deslocamento aproximado)
Tempo total: 2h 30min

Participantes: Alberto, Daniela, Jorge e Marcelo.

Resultado:
1 - Pinguins do Deserto (1503 pontos)
2 - Pé de Vento (1817 pontos)
3 - Falcão Azul (1872 pontos)
...
13 - Johnnie's Walkers (2370 pontos)

Prato do dia: Costela do Japonês, de Indaiatuba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário