Visite nosso blog "gourmet": http://jwalkersgourmet.blogspot.com/

Hodômetro - quilometragem dos participantes

Participante
Distância percorrida
Alberto
639,4 km
Daniela
810,0 km
Jorge
784,4 km
Marcelo
858,2 km
Paulo
211,2 km
Yumi
145,6 km
(considerando somente os eventos listados neste blog)

domingo, 20 de maio de 2012

Fun Trekking 2012 - Camping Fazenda das Pedras

O Camping da Fazenda das Pedras é um local com muitas alternativas para provas de trekking, tanto que em nosso post da prova de 2011, previmos que a prova de 2012 seria totalmente diferente... e foi.

Para essa etapa do Fun Trekking, Daniela e Marcelo optaram por pernoitar no próprio camping, pois os apartamentos são honestos (mas os pernilongos estavam fazendo uma rave no nosso apartamento) e teríamos garantido o banho para todos... O jantar, como não poderia deixar de ser, foi no Bar do Alemão.

Olha só quem retornou ao cardápio... Viva!

No domingo, Jorge deveria passar na casa do Alberto às 9h, mas se atrasou, obrigando Alberto a bater o recorde de radares quebrados na Rodovia dos Bandeirantes.

Largamos às 10h27, com uma estratégia de somente 22 postos, pouco para os 35 postos no total, e com 3 rotas inválidas... Uma estratégia um pouco diferente da nossa característica, mas nossas estratégias sem rotas inválidas nunca deram mais de 21 postos. Assim, escolhemos uma estratégia que privilegiasse os postos de controle e os postos ocultos, para compensar as rotas inválidas e o número pequeno de postos. Além disso, estudamos as dicas do briefing para realizar as tarefas dos postos de controle.


O primeiro posto da nossa rota foi o 21. Fomos para o quiosque errado, mas logo percebemos o erro. Ao chegar no quiosque certo, levamos um tempo até encontrar o chip preso no teto...

Depois fomos ao posto 05, na cerca. Tivemos que aguardar o horário certo para bipar. Fomos ao posto 18, no mirante, onde novamente chegamos com muita antecedência e deu para tirar boas fotos.






O posto de controle 07 foi o próximo a ser visitado. Nesse PC, a prova valendo 300 pontos foi:


Havíamos estudado fotos de jabuticabeiras, caramboleiras e pitangueiras, mas Alberto, antes mesmo de ler as opções, mandou: "É jabuticaba!", que foi confirmado pelo Jorge. Pronto, resolvido! A dica do posto oculto só confirmou nossa suspeita quanto ao posto 19.

Doze minutos até o posto 17 foi exagero, demoramos uns 4, passeando... Deu tempo para jogar conversa fora, beber água, trocar de mapa, tirar fotos, ficar entediado...


Mais doze minutos até o posto 19, nosso primeiro oculto. Fizemos uma rota por trás do Restaurante das Pedras, passando pelo posto 16 e por uma porteira fechada (abrimos, passamos, fechamos - essa mesma porteira estava aberta quando voltamos...). A outra opção, pelo posto 07, não parecia animadora. Seguimos por uma trilha já conhecida pelas provas da Northbrasil, que passa ao lado da área destinada à prática de paintball, meio abandonada. A trilha onde estava o posto 19 surgiu à esquerda e o posto foi avistado de longe.


Novamente tivemos que esperar longos 7 ou 8 minutos para bipar (longos, porque os mosquitos queriam nos carregar). Voltamos à trilha principal e descemos na direção do lago, pelo posto 10, e chegamos ao posto 12 (adivinha? 7 minutos adiantados). Mais fotos...



Nesse posto 12, tivemos a confirmação: o diretor da prova queria mesmo sacanear com o Jorge. Nosso bipador oficial teve que fazer alongamento para bipar vários postos!

Subimos pela mesma trilha, até o posto 06 no pé de café. No caminho, cruzamos com a equipe Bora Bora, que descia correndo rumo ao posto 19. No encalço deles, uma integrante dessa equipe fez um atalho correndo a partir da porteira no alto da trilha, abrindo mato no peito! Deu frio na espinha!

Ficamos sentados, batendo papo com o staff, por uns 5 minutos. Esses minutos parados foram bons para retomar o fôlego, mas em termos de estratégia representaram muitos postos a menos no final da prova...

Terminada a primeira etapa da nossa estratégia, onde os postos estavam mais distantes entre si, descemos na direção do lago a oeste do camping, rumo ao posto 29. Optamos por não descer pelas escadas próximas ao PC 31, por ser uma rota bastante escorregadia e perderíamos tempo. Escolhemos uma rota nova, descendo pela estrada de terra que leva ao PC 24, mas tomando uma trilha de gado à direita. Seguimos praticamente em linha reta e saímos muito próximos ao posto 29 (dá para ver claramente essa trilha no tracklog). Na sequência, bipamos o posto 28, de onde vimos o posto 27, oculto, graças a outra equipe que procurava por esse posto do outro lado do lago.

Demos a volta no lago e pegamos o PC 24 (primeiro posto que atrasamos, porque o equipamento teimava em não bipar - na próxima prova, temos que lembrar de colocar bombril no kit de primeiros socorros), cuja prova foi essa:


Estai? Hmmm... Não estudamos isso... Mas pela lógica, uma ponte estaiada é uma ponte sustentada por estais, que são cabos... Isso! Cabo que sustenta o mastro! Mais 300 pontos garantidos.

O posto 25 deu trabalho. Achamos o 26 e pensamos que era ele, bateu aquele desespero e saímos correndo atrás do posto certo, que estava escondido atrás de uma pedra.

Reencontramos a Daniela que havia ficado para trás e fomos para o posto 27, oculto à beira do lago. Como o tempo da rota 25-27 era de 12 minutos, optamos pelo caminho mais longo (e mais seguro, porque as agulhas dos pinheiros que forram o chão são muito escorregadias) ao redor do lago, mas ainda assim tivemos que esperar uns 8 minutos. Nova sessão de fotos!



Mais 12 minutos até chegar no portal 22, que era muito perto do 27. Por uma trilha de gado, chegamos até a estrada de terra. No quiosque onde estava o portal 22, deu tempo até de tirar uma soneca... O descanso foi providencial, porque a próxima e última parte da estratégia seria tensa. Do 22, fomos ao 33, escondido atrás das pedras. A próxima rota seria para o 34, que daria acesso ao 32, mas essa era uma rota inválida. Por essa razão, tomamos a decisão de correr a toda velocidade (de novo fora da característica da nossa equipe), mas foi necessário para economizar alguns minutos no final da prova e abrir a possibilidade de visitar mais um posto antes da chegada. Maaaas, corremos para o lado errado. Que beleza... Quando achamos o 34, já tinham se passado mais de 3 minutos, numa rota que deveríamos ter levado 30 segundos, se tanto.

Subimos e pegamos o 32. Dali fizemos rota inválida para o PC 31 e dessa vez corremos para o lado certo (fizemos a rota 32-31 em pouco menos de 2m30s). A prova foi novamente uma pergunta sobre veleiros, mas dessa vez os estudos renderam resultados:


Conforme as instruções obtidas nos postos de controle para determinar a posição do posto de chegada, ao se desenhar as três retas (entre os postos 01-20, 02-26 e 07-22) no mapa, formou-se um triângulo na região entre os vestiários e a quadra de vôlei de areia do camping. Durante o trajeto entre o PC 31 e o posto oculto 09, demos uma olhada para tentar localizar o 99 mas não encontramos. Seguimos para o 09 e levamos 3 minutos a mais que o tempo previsto. Como o portal 20, próximo da nossa estratégia, ficava a poucos metros do 09 (era possível vê-lo a partir do 09), decidimos gastar os 12 minutos dessa rota procurando pelo 99: fomos até a quadra de areia e vimos de longe o chip pendurado na grade. Pelo menos no aperto poderíamos abortar os últimos postos da estratégia! (esse desvio para procurar o 99 é nitidamente visível no tracklog).

Marcelo e Jorge desceram para o portal 20, enquanto Alberto e Daniela aguardavam na estrada de terra, só para poupar a subida barranco. Nesse ponto da prova, ficamos na dúvida se conseguiríamos levar a cabo a estratégia e nossos cálculos mostraram que teríamos apenas 1 minuto para fazer a rota 03-99, ou seja, o tempo extra que levamos para encontrar o posto oculto 09 nos tirou a possibilidade de pegar mais um posto...

Fomos para o posto 04 e dali para a chegada, já que o 03, que seria o nosso último posto antes da chegada, ficou inviável... 


Nessa etapa, ficou claro que o diretor de prova foi mais cuidadoso ao determinar o tempo das rotas, adicionando tempo extra relativo à dificuldade do terreno e dos caminhos entre os postos. Por outro lado, algumas rotas ficaram com muito tempo, dificultando a estratégia. A publicação dos arquivos na quarta-feira à noite também foi um fator que dificultou a elaboração da estratégia, pois reduziu o tempo de análise. Em relação ao lugar, continuamos achando excelente, com muitas possibilidades para provas de trekking.

Nosso almoço no Restaurante das Pedras foi interrompido pelo Jefferson, que veio nos comunicar a nossa vitória! Pela quantidade de postos que visitamos, não esperávamos ficar em primeiro lugar, mas a estratégia  pouco óbvia de visitar todos os postos ocultos deu muitos pontos (principalmente o 09, já que fomos a única equipe a visitá-lo) e rendeu uma prova com esforço físico menor, em razão das muitas paradas. 


Distância: 7,0 km (GPS - corrigido)
Tempo total: 2h 56min

Participantes: Alberto, Daniela, Jorge e Marcelo.

Resultado:
1 - Johnnie's Walkers (21 701 pontos)
2 - Bulldog (20 812 pontos)
3 - BigBlue (18 082 pontos)
...

Prato do dia: comida minêra do Restorante das Pedra, uai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário