Visite nosso blog "gourmet": http://jwalkersgourmet.blogspot.com/

Hodômetro - quilometragem dos participantes

Participante
Distância percorrida
Alberto
639,4 km
Daniela
810,0 km
Jorge
784,4 km
Marcelo
858,2 km
Paulo
211,2 km
Yumi
145,6 km
(considerando somente os eventos listados neste blog)

domingo, 25 de março de 2012

Fun Trekking 2012 - Ski Mountain Park

A primeira parte dessa prova foi difícil: decidir entre participar ou não. A verdade é que o número reduzido de etapas ao longo do ano e as constantes modificações nas regras acabaram nos desmotivando. Decidimos por participar, porque uma ausência em 4 etapas no ano decidiria a (não) participação pelo resto do ano.

Participou conosco um antigo integrante da nossa equipe, aliás fundador, Paulo, que estava curioso com o Fun Trekking.

Saímos da casa da Yumi (que dessa vez não participou) onde pegamos o Alberto lá pelas 8h15 e chegamos no Ski Mountain Park em torno das 9h30. Incrivelmente estava sol e calor (pela primeira vez, fizemos uma prova com calor em São Roque!) e ainda deu tempo de tomar um cafezinho (ninguém foi doido de pedir chocolate quente, como da última vez).


Largamos às 10h30, com uma estratégia meio suicida, fora de nossa característica, mas com muitos PCs e 14 minutos de folga. Não deu tempo de tentar nada mais elaborado. Teríamos que subir a partir da base da pista de esqui por 2,5 vezes...

O primeiro PC a ser encontrado era o 08, no ponto de ônibus. Foi encontrado facilmente.


Em seguida, pegamos o PC 09, na entrada da trilha para a mata, que sempre nos dá algum trabalho. Para chegar ao PC 16, resolvemos seguir por fora da mata, pois seria mais rápido e ainda teríamos oportunidade de procurar o PC 27, que era oculto. Como perdemos algum tempo procurando e a trilha para o 16 estava meio escorregadia, acabamos atrasando 57 segundos. O PC 16 era obrigatório de controle, e a prova era essa:


Até que foi relativamente fácil, na base do olhômetro. A novidade é que agora a resposta tem que ser obtida na hora, bipando-se a resposta correspondente.

Subimos a trilha e voltamos para as proximidades da sede do parque, em busca do PC 07, na tirolesa. Fizemos o início da descida pelo asfalto até o PC 26 e subimos de volta até o 05. Esse sobe-e-desce foi uma constante durante a prova.


Fomos novamente para o PC 18, na entrada para a trilha na mata e depois entramos pela pista de motocross, em busca dos PCs 22, 21 e 23. Esse último nos deu um pouco de trabalho, porque erramos na navegação e perdemos 20 segundos.


O próximo da lista foi o PC 14, de controle, no meio da mata. Até chegar nesse PC, fomos perdendo integrantes da equipe ao longo do caminho... Justamente nesse PC, Paulo, exímio jogador de sudoku, ficou para trás...


Foi fácil também...

A rota para o PC 34 era pegadinha, e sabíamos disso. Era necessário descer pela estrada de asfalto, mas para isso primeiro era necessário subir de volta pela trilha na mata (recolhendo os integrantes da equipe que ficaram pelo caminho), ir até o ponto de ônibus (no PC 08) e só então fazer a descida. Mesmo em ritmo acelerado, atrasamos quase 2 minutos e meio.

Agora viria a pior parte, pois o sobe-e-desce seria na pista de esqui. Deixamos a Daniela junto com o staff do Fun Trekking na saída do tobogã e fomos subindo para o PC 02, que estava bem no alto. Foi uma subida dura.


Descemos de novo em busca do PC 32 e fomos informados da inversão desse PC com o 31. Quase atrasamos, mas passamos no horário. Esse PC tinha outra prova de navegação, que também acertamos:


O próximo PC foi o 30, na metade da rampa de esqui. Deixamos o Alberto fazendo companhia para Daniela e subimos. Foi outra subida traumática mas passamos no tempo...

Para chegar no PC 03, no paintball, decidimos subir de teleférico, para recuperar as forças (mesmo porque estávamos ainda no meio da prova...).


Pegamos o PC 03 com quase 2 minutos de atraso... O teleférico, apesar de confortável, é muito lento. Depois, fomos em direção ao PC 06, oculto, na descida de asfalto. Continuamos a descida até o PC 28, que era de controle mas não tinha prova.

Como tínhamos que voltar para o PC 17, lá na trilha na entrada da mata, tentamos usar os "trenzinhos" que levam os frequentadores do parque dos bolsões de estacionamento até a sede do parque, mas os condutores recusaram-se a parar fora dos pontos... Enfim, a solução foi passear de teleférico de novo. E tome mais atraso.


Do 17, fomos ao 24, bem perto, na arquibancada da pista de motocross, e daí para o 11, que foi acessado pela entrada onde estava o PC 09. Até achamos que esse PC seria difícil de ser encontrado, mas não foi.

Nesse ponto, já havíamos desistido de ir ao PC 04 no final da prova, pois estouraria as 3 horas de prova. Entretanto, Daniela sugeriu que abortássemos o PC 29, pois sua localização, bem no meio da pista de esqui, era desfavorável, já que ninguém mais tinha pernas para subir de volta...

Fizemos as contas e vimos que tínhamos em torno de 5 minutos de folga e resolvemos arriscar. Informamos a Daniela e fomos pegar esse bendito PC. A descida até que foi fácil, mas a Daniela nem se arriscou e ficou esperando no alto do tobogã. Alberto também parou no meio. Marcelo sentou-se a poucos metros do PC, com cãibras. Jorge chegou ao PC e bipou no tempo, eba!


Mas... e agora, como faz para subir? Foi sofrido e doloroso. Mas para cima era o único caminho possível!

Quando finalmente conseguimos chegar no alto do tobogã, bipamos o PC 01. Tomamos fôlego e fomos para o PC 27, aquele oculto que achamos no começo da prova. Marcelo não aguentou e ficou para trás.

Pegamos o 27 e descemos para pegar o PC 15, mas não achamos a trilha que levava a ele e o jeito foi procurar um atalho. Nesse momento, aconteceu a cena dantesca da prova: Paulo, que tinha mais perna, foi seguindo Marcelo, que já havia recuperado o fôlego. Mas o bipe estava com Jorge, que havia ficado para trás. Para ganhar tempo, Jorge arremessou o aparelho para que Paulo o pegasse, mas Paulo, sem habilidades de goleiro, furou... e o equipamento acertou em cheio no nariz, que inchou na hora! Só deu para  ouvir os impropérios, xingamentos e pragas rogadas pelo Paulo até a quinta geração da família do Jorge!

Parcialmente recuperado, Paulo alcançou Marcelo que já havia localizado o PC 15. A subida para sair da mata foi épica e dolorida, ninguém mais tinha pernas, mas ainda faltava buscar o último PC da lista, o 12, que era oculto. Marcelo desistiu da prova e ficou no carro. Alberto ainda levou um tombo danado e quase se machucou no arame farpado ao bipar o PC 12...

Daí, foi só terminar a prova. Difícil como todas as provas no Ski Mountain Park, que infelizmente está meio abandonado...


(fotos no Picasa)

Distância: 9,6 km (GPS - corrigido)
Tempo total: 2h 56min

Participantes: Alberto, Daniela, Jorge, Marcelo e Paulo.

Resultado oficial:
1 - Bulldog (24.436 pontos)
2 - Johnnie's Walkers (23.124 pontos)
3 - Bora Bora (23.071 pontos)
...

Prato do dia: Coxinhas e cervejas do FrangÓ.



Nenhum comentário:

Postar um comentário