Visite nosso blog "gourmet": http://jwalkersgourmet.blogspot.com/

Hodômetro - quilometragem dos participantes

Participante
Distância percorrida
Alberto
639,4 km
Daniela
810,0 km
Jorge
784,4 km
Marcelo
858,2 km
Paulo
211,2 km
Yumi
145,6 km
(considerando somente os eventos listados neste blog)

domingo, 1 de setembro de 2013

Northbrasil 2013 - Parque D'Anape

Nesta etapa, decidimos pernoitar no hotel do Parque Danape, como já havíamos feito anteriormente, pois os quartos são bem ajeitados e o café da manhã vale a pena. Mas, quando chegamos lá no sábado perto das 22h, descobrimos que não havia nenhuma reserva... e que a reserva havia sido feita no Danape Express... Comé? Pois é, nossa reserva foi feita num hotel, literalmente, beira de estrada, num posto de gasolina...

(borracharia em destaque)

Por dentro, o quarto é bem aceitável, tudo limpo e novo. Refeitos do susto, Marcelo e Jorge resolveram matar meia garrafa de Gentleman.

Dia claro, tomamos café no hotel mesmo, fomos para o Parque Danape e encontramos Alberto e Yumi ainda no estacionamento. O dia prometia uma prova quente, literalmente.


Fizemos nosso check-in e os preparativos para a largada, que foi às 10h32.


Começamos subindo pela estrada de terra, próxima ao estacionamento. Descemos o mesmo barranco da etapa de 2012 e saímos do outro lado do estacionamento, entre os chalés. Seguimos até a portaria do hotel e seguimos em direção ao pesqueiro.


Passamos pela lanchonete do pesqueiro e viramos para 237°, por um caminho novo até a subida para o cruzeiro. Apesar da velocidade relativamente baixa (43 m/min), foi uma subida sofrida por causa do sol, mas mesmo assim acabamos adiantando 38 segundos no PC 05.


Fizemos o neutro no final da subida e começamos a descida.



Zeramos o PC 06 (já havíamos zerado o 02 também) e entramos pela mata, que diminuiu o calor. Exceto pela equipe a nossa frente que falava muito e alto, a prova esta ótima... Nossa equipe falava só o necessário, em parte por causa da ressaca.

Pegamos o PC 08 no meio do atoleiro (todos fizeram questão de molhar o pé ...) e seguimos meio embolados com a equipe que ia à frente, que fazia muitas paradas para acertar a navegação.


Ao final do trecho 15, entramos por uma trilha na mata. Em virtude da subida, acabamos perdendo tempo e o fôlego. Quando saímos da mata, no final do trecho 17, havíamos acumulado 1 minuto de atraso. Mas aí veio o trecho 18, que só de olhar já assustava... Uma baita duma subida de 150m a 56 m/min, com o PC 13 bem no meio. Daniela travou e Marcelo ficou para trás junto com ela, enquanto o restante da equipe seguiu até o neutro no final da subida.



Começamos o trecho de virtual com mais de 5 minutos de atraso, tanto que fizemos 268 pontos no PC 14. Por outro lado, cravamos 1 ponto no Virtual 15!

Paramos no neutro com direito a somente 8 minutos e a necessidade de se decidir se continuaríamos na prova... Deu tempo de repor a água que, naquela altura, já estava no fim e decidimos continuar até nos aproximarmos da sede do Parque, onde Daniela e Yumi decidiriam o que fazer.


Logo na saída do neutro, estava o PC 16, talvez posse uma pegadinha... Depois, seguimos margeando uma região de reflorestamento, onde achamos o PC 17, que estava virado ao contrário da trilha - e depois acabou sendo cancelado.


No trecho 26, logo depois de um neutro de 40 segundos entre duas porteiras, começaram as pegadinhas: aos 114 m, ao medir 169°, percebemos o primeiro bate-e-volta, logo antes do PC 24. Alberto passou o PC, Jorge e Marcelo pararam antes, tudo sob a supervisão do Renatão, que nos deu a dica. Fizemos o bate-e-volta corretamente e entramos à direita na mata, por uma trilha velha conhecida. Marcelo tentou arrancar um toco com o tornozelo, sem sucesso... Pelas trilhas nessa mata, foram mais dois bates-e-volta, feitos corretamente, mas o congestionamento de equipes nos fez perder tempo. Numa das referências, havia uma câmera que deve ter cansado de tanto tirar foto da gente...



Quando saímos desse labirinto pela primeira vez, Yumi e Daniela decidiram desistir da prova e, em lugar conhecido, foram embora para a sede do Parque. No tempo certo, Alberto, Jorge e Marcelo seguiram adiante.

A partir da estrada de terra, medimos 198° e voltamos para a mata. Pegamos o PC 19, que era uma das pegadinhas de bate-e-volta, demos um laço, voltamos para a estrada de terra e pegamos o PC 24, do primeiro bate-e-volta, e descemos de novo pela trilha na mata. Dessa vez seguimos para o outro lado da mata. No PC 26 pegamos um caminho para o início do próximo trecho de virtual, na estrada de terra entre os pinheiros (Yumi estava ansiosa por esse trecho, pena que já tinha desistido...).


Passamos novamente pela lanchonete do pesqueiro (e ficamos com pena das equipes que ainda ainda estavam no começo da prova, porque o sol não estava perdoando) e fizemos 14 pontos no Virtual 28, pela média dos três integrantes.

Erramos nas contas da distância percorrida quando estávamos próximos ao estábulo, porque novamente nos embolamos com a equipe que nos precedia, mas mesmo assim erramos o Virtual 32 por 12 metros (de 1000 no total). Pegamos a estrada de terra de volta para a sede e erramos o Virtual 34 por 27 metros (de 1400 no total).

Passamos do lado da piscina e terminamos a prova dois segundos adiantados!


O Parque Danape ainda guarda surpresas, mesmo depois de tantos anos fazendo provas lá. Há muitas possibilidades e tem muito espaço. Eu particularmente achei a melhor de todas as provas no Danape. O único "porém" ficou por conta da hospedagem, que em parte foi por desentendimento nosso. No final, acho que ficamos no lucro, porque poderia ter sido bem pior.

Fizemos uma prova excelente. Zeramos 2 PCs, fizemos 1 ponto em outros 3, fomos a melhor equipe em 4 e ainda andamos em 1° na prova por um PC. Acertamos todos os bates-e-volta e não erramos a navegação nenhuma vez. Jorge estava inspirado na contagem de passos... Demos azar na subida do PC 13, por ficarmos sem fôlego, mas daria para ter brigado pelo segundo lugar. Provavelmente foi a nossa melhor etapa desde que participamos da Copa North. Isso ainda vai nos dar problema, porque não temos como objetivo passar para a categoria Graduados, e estamos em terceiro no campeonato...


Distância: 7968 m
Tempo total: 2h 32min

Participantes: Alberto, Daniela, Jorge, Marcelo e Yumi.

Resultado:
1 - Os Pé na Cova (481 pontos)
2 - Tarahumaras (689 pontos)
3 - Alfinetes Cinzas (1024 pontos)
4 - Johnnie's Walkers (1051 pontos - média de 27,7 pontos por PC)
...

Prato do dia: Filé à Parmegiana do Bar do Alemão do Itaim Bibi.



Menção honrosa ao 100° post deste blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário